22 ℃

Agronegócio

Para manter status de área livre, Governo de MS e União intensificam vigilância na fronteira com a Bolívia para prevenir gripe aviária

Autoridades se reuniram nesta quarta-feira para definir ações a serem tomadas para evitar entrada da doença no Estado e no país

Qua, 15 Fevereiro de 2023 | Fonte: Marcelo Armôa/Comunicação Semadesc


Para manter status de área livre, Governo de MS e União intensificam vigilância na fronteira com a Bolívia para prevenir gripe aviária
Fotos: Semadesc/Divulgação

O Governo de Mato Grosso do Sul, em conjunto com Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), por meio da SFA/MS (Superintendência Federal de Agricultura de MS) vai disseminar informações sobre a Gripe Aviária (Influenza Aviária) e alertar produtores rurais e população em geral a fim de manter o Brasil como área livre da doença. Na América do Sul, países vizinhos já notificaram ocorrência da doença, o que levou o país e o Mato Grosso do Sul a intensificar as medidas de prevenção.

Em reunião do Gease-MS (Grupo Especial de Atenção à Suspeita de Enfermidades Emergenciais ou Exóticas de Mato Grosso do Sul) realizada na manhã desta quarta-feira (15), na Semadesc (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação), foi definido que, além de campanha preventiva de conscientização e esclarecimento sobre a gripe aviária e quais cuidados devem ser tomados, será reforçada e intensificada a fiscalização sanitária na região da fronteira do Estado com a Bolívia.

Participaram da reunião o secretário Jaime Verruck, da Semadesc, que preside o Gease/MS; o superintendente da SFA/MS, Celso Martins; o secretário adjunto, Ademar da Silva Júnior; o diretor-presidente da Iagro (Agência Estadual de Sanidade Animal e Vegetal), Daniel Ingold; o diretor presidente da Agraer, Washington Willeman de Souza; o secretário executivo de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Rogério Beretta; além de representantes das secretarias de Justiça e Segurança Pública, Governo e da Vigilância Sanitária.

A Iagro já designou servidores para atuarem na fronteira, e a partir desta quinta-feira (16) o órgão vai intensificar a vigilância e fiscalização no Posto Esdras e no Buraco das Piranhas (Base da PMA), seguindo as orientações do protocolo do Mapa, repassando orientações às pessoas sobre a gripe aviária e o que pode ser feito para evitar a disseminação da doença.

Para manter status de área livre, Governo de MS e União intensificam vigilância na fronteira com a Bolívia para prevenir gripe aviária

“A notificação de foco da doença em Cochabamba, na Bolívia, acendeu a luz de alerta para todo o nosso país. Vamos tomar todas as medidas necessárias para manter o Mato Grosso do Sul como área livre”, afirmou o secretário Jaime Verruck.

O superintendente da SFA/MS, Celso Martins, lembra que “o Brasil é reconhecido internacionalmente como área livre de gripe aviária, mas desde o ano passado tem surgido focos em áreas distantes. Fomos cercados pela presença da doença na Venezuela, Colômbia, Bolívia. Para mantermos esse status é necessário informar corretamente os produtores rurais e a população em geral sobre a doença e intensificar a fiscalização para barrar a entrada de aves. Por isso nos reunimos, para estabelecer medidas de curto prazo emergenciais e fazer todos os esforços necessários nas áreas de vigilância sanitária e segurança pública”.

Sobre a doença

O Brasil nunca registrou nenhum caso da doença. A ‘Influenza Aviária’ é viral e atinge aves domésticas e silvestres, com alto nível de contágio. Apesar de casos registrados em humanos, ela não é transmitida pelo consumo de carne ou ovos.

De acordo com o Mapa, o período de maior migração de aves do Hemisfério Norte para a América do Sul vai de novembro a abril. Por isso, neste momento, o trabalho que vem sendo realizado é o aumento das ações de vigilância pelo serviço veterinário oficial e órgãos ambientais e o reforço das medidas de biosseguridade nas granjas pelos produtores, com o objetivo de detectar rapidamente o eventual ingresso da doença no país e mitigar os riscos de sua disseminação.

Até o momento, nenhum caso de gripe aviária foi confirmado no Brasil. A orientação do governo federal é de que produtores rurais, técnicos agrícolas e criadores fiquem alertas para as aves com sinais respiratórios, nervosos, digestivos ou alta mortalidade, inclusive em aves de vida livre.

Serviço – Comunique o Iagro em qualquer suspeita da doença pelo whatsapp: 67 99961-9205, ou pela internet na plataforma e-Sisbravet (Sistema Brasileiro de Vigilância e Emergência Veterinária): https://sistemasweb4.agricultura.gov.br/sisbravet/manterNotificacao!abrirFormInternet.action

Correio de Corumbá

SIGA-NOS NO Correio de Corumbá no Google News

 
 
 

Últimas Notícias