27 ℃

Benedito C.G. Lima

“NENHUMA”

Dom, 05 Fevereiro de 2023 | Fonte: Benedito C.G. Lima


Eu sem nenhuma vontade
E lembrei-me da escola,
E matei a saudade
E lembrei-me da escola,
Dos garotos briguentos
Das meninas sapecas
Das pandorgas aos ventos
Dos cafés nas canecas!
E eu sem nenhuma vontade, sem nenhuma tristeza
Comecei a chorar
Me lembrei da beleza
Dos barquinhos no mar
Dos sorvetes de outrora
Dos carrinhos de mão
E dos doces d’Aurora!
E assim, sem nenhuma vontade
Foi nascendo a canção,
Que se perdeu na cidade,
Andando em contramão
Canção que era em suma,
Que o meu verso resuma:
Um pouco de mim!

Correio de Corumbá

SIGA-NOS NO Correio de Corumbá no Google News

 
 
 

Veja Também

“MENESTREL PANTANEIRO”

Lá vou eu MenestrelPantaneiroEm minha canoa Singrando o Rio ParaguaiSou audaz vaqueiroPeão CanoeiroPescadorMinha vida é sonharCurtirImaginarUm paraísoDo teu ...

“POETA SOLITÁRIO”

Sou um poeta solitário             Na busca de um amor eterno             E a minha vida              Tem sido um inferno             Por não encontrá-la    ...

“ODE AO POETA DESCONHECIDO LUBIVAR MATTOS”

Eu vou me escorrendo  Pelos becos No ritmo da Boemia Portuária Sentido o cheiro forte Da mulata brejeira Trescalando farto alvo doce Outro não há.   E a minh...

MADRUGADA DE  CHUVA

Um rebanho de nuvens prenhe de chuvaRabisca com raios a trilha celestialE  a madrugada de verãoVerbaliza a serenata climáticaE ao longe o Poeta sonha com sua...

Últimas Notícias