31 ℃

Cultura

Conselho Estadual de Políticas Culturais de MS aprova o tombamento da Padaria Cuê e Prefeitura Cuê em Porto Murtinho

A Padaria Cuê e a Prefeitura Cuê, ambas construídas entre os anos de 1920 e 1930, deverão ser incluídas no rol do Patrimônio Cultural Material de Mato Grosso do Sul.

Dom, 25 Fevereiro de 2024 | Fonte: Assessoria de Imprensa FCMS


Conselho Estadual de Políticas Culturais de MS aprova o tombamento da Padaria Cuê e Prefeitura Cuê em Porto Murtinho
Prefeitura Cuê - Fotos: Divulgação

O Conselho Estadual de Políticas Culturais de Mato Grosso do Sul acaba de dar parecer favorável aos processos de tombamento de duas importantes edificações localizadas no município de Porto Murtinho. A Padaria Cuê e a Prefeitura Cuê, ambas construídas entre os anos de 1920 e 1930, deverão ser incluídas no rol do Patrimônio Cultural Material de Mato Grosso do Sul.

A publicação da decisão do Conselho foi publicada na página 55 da edição de hoje (21) do Diário Oficial do Estado. Agora o texto segue para submissão do Governador do Estado. As edificações, segundo o Conselho Estadual de Políticas Culturais de MS, estão entre as de maior expressão quanto à riqueza histórica e arquitetônica de Mato Grosso do Sul. A tramitação dos processos são feitas pela Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS) para que as inscrições das edificações sejam feitas no “Livro do Tombo Histórico”.

Conselho Estadual de Políticas Culturais de MS aprova o tombamento da Padaria Cuê e Prefeitura Cuê em Porto Murtinho
Padaria Cuê

A Padaria Cuê, é uma construção com elementos da arquitetura industrial trazidas da Europa e da América do Norte para o Brasil, com a fachada toda em tijolo cerâmico queimado aparente decorrentes da Revolução Industrial e retomada no século XX. Edificada a mando do comerciante uruguaio Jaime Aníbal Barrera, pelos construtores espanhóis Canellas e Abelardo, a edificação além de funcionar como padaria no térreo, possuía também a função de abrigar o moinho de trigo em Porto Murtinho. Ela foi concluída foi em 1928. Localizada na rua Dr. Costa Marques, 1089, esquina com a rua António João, no ano de 1954 foi adquirida pela Cooperativa Florestal S/A, e em 1978 entregue ao estado de Mato Grosso como forma de pagamento de dívidas da cooperativa. A partir de 2004 passou a ser domínio da prefeitura municipal de Porto Murtinho, passando a abrigar o Museu Dom Jaime Aníbal Barrera.

A Prefeitura Cuê, foi construída na década de 1930, se apresenta com ideias do neoclássico e também possui traços do colonial brasileiro.   Localizada na Rua Pedro Celestino, de frente para o Rio Paraguai, o edifício funcionava como Centro Administrativo que comandava o movimento fiscal do Porto. Sua arquitetura representa o período áureo de importância do município no cenário estadual. O prédio foi recuperado em 2006 e atualmente abriga a sede da Prefeitura Municipal de Porto Murtinho.

Edificações

Parte de um complexo de imponentes edificações construídas no início do século XX, refletiam o contexto político e econômico daquela região, alentado principalmente pelo ciclo da erva mate e a Companhia Matte Larangeira, responsável pela exploração dos ervais nativos do então Mato Grosso.

A região desenvolveu-se muito no período graças à implantação de um porto fluvial que deu nome à cidade, por onde escoava a produção ervateira via Rio Paraguai. A região destacava-se ainda naquele período pela produção do charque e do tanino, que junto com a erva mate trouxeram grandes transformações econômicas e sociais na região, atraindo imigrantes de diversas nacionalidades para Porto Murtinho, como os italianos, portugueses, árabes, espanhóis e alemães. Esta imigração também trouxe grandes reflexos na arquitetura da cidade, que podem ser observados no complexo arquitetônico do qual fazem parte a Padaria Cuê e a Prefeitura Cuê.

 

Correio de Corumbá

SIGA-NOS NO Correio de Corumbá no Google News

 
 
 

Veja Também

Agenda cultural marca comemorações dos 30 anos de tombamento do Conjunto Arquitetônico de Corumbá

Entre os dias 21 e 24 de novembro, o Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional em Mato Grosso do Sul (Iphan-MS) realizou o evento de comemoração d...

“Rotas Monçoeiras: A História de um Rio e seu Povo” é o mais novo documentário sobre Mato Grosso do Sul

Nesta sexta-feira 16 de fevereiro de 2024, às 19h, O FIC – Fundo de Investimentos Culturais apresenta no Museu da Imagem e do Som (MIS), unidade da Fundação ...

Últimas Notícias