32 ℃

Saúde

Justiça manda governo recontratar 1,7 mil médicos cubanos do Mais Médicos

Mais Médicos foi interrompido em 2018, após Cuba encerrar o contrato com o Brasil em razão das mudanças propostas pelo então presidente eleito Jair Bolsonaro (PL)

Sáb, 28 Janeiro de 2023 | Fonte: Caroline Stefani/DCM


O Tribunal Regional Federal da 1ª Região determinou que o governo federal recontrate os 1.789 médicos cubanos que participavam do Mais Médicos e que tiveram o programa interrompido em 2018, após a Cuba encerrar o contrato com o Brasil em razão das mudanças propostas pelo então presidente eleito Jair Bolsonaro (PL).

A decisão contempla a 20ª turma do Mais Médicos e atende um pedido da Associação Nacional dos Profissionais Médicos Formados em Instituições Estrangeiras e Intercambistas.

O desembargador Carlos Augusto Pires Brandão, que proferiu a decisão, pede que a União apresente em um prazo de dez dias um plano de execução para contratação dos profissionais.

Brandão também diz que a crise humanitária e de saúde em Roraima vivenciada pelos indígenas Yanomami também justifica a medida. “O Programa Mais Médicos para o Brasil permite implementar ações de saúde pública de combate à crise sanitária que se firmou na região do povo indígena ianomâmi. Há estado de emergência de saúde pública decretado pelo Ministério da Saúde”, escreveu.

A ministra da Saúde, Nísia Trindade, já havia afirmado que era “prioridade” dos primeiros cem dias do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) retomar o programa.

Correio de Corumbá

SIGA-NOS NO Correio de Corumbá no Google News

 
 
 

Veja Também

Ação coordenada encontra garimpo próximo a povos isolados na TI Yanomami

Uma ação coordenada entre Ministério dos Povos Indígenas, Ministério do Meio Ambiente, Funai, Ibama, Força Nacional e Polícia Federal sobrevoou nesta sexta-f...

A SAGRADA FACE É YANOMAMI

A comovente Via Sacra da Pastoral da Criança, realizada há poucos dias pelas ruas do centro da cidade de São Paulo, nos revela um significativo flash de como...