31 ℃

Ahmad Schabib Hany

Lugar de fascistas e de terroristas é na cadeia

Ter, 10 Janeiro de 2023 | Fonte: Ahmad Schabib Hany


Ante os atos (e possíveis atentados) das hordas fascistas, agora flagrantemente terroristas, que promoveram a invasão dos três Poderes, é hora de levá-las para as barras dos tribunais. Repressão efetiva e prisão aos tonton macoutes e seus mandantes, inclusive os que procuraram álibi viajando aos EUA.

O fedor dos glúteos podres dos fascistas (entre eles o inominável, a familícia, o canalha Anderson Torres, ex-secretário de Segurança Pública do DF, que foi para o colo de seu chefe, de quem foi ministro de Justiça) e seus facínoras de aluguel tomou conta da Esplanada dos Ministérios. Em plena tarde do segundo domingo do ano (e do governo Lula), sob a escolta de algumas viaturas da Polícia Militar do Distrito Federal, essas desprezíveis hordas insanas invadiram, ilegítima e acintosamente, as sedes dos três Poderes, Executivo, Legislativo e Judiciário.

Os palácios do Planalto, Congresso Nacional (Câmara dos Deputados e Senado Federal) e do Supremo Tribunal Federal foram literalmente depredados, devastados, vandalizados, saqueados e furtados (sic) pelos tonton macoutes e seus meliantes adestradores, entre eles alguns generecos malditos, cujos nomes virão à tona, canalhas miseráveis que são. E ao contrário da cínica nota do inominável, o fujão, a história está repleta de episódios de natureza golpista protagonizados pela extrema-direita: a) atentado, em 1981, contra o Riocentro por homens fardados que, por incompetência, foram suas únicas vítimas; b) atentado, no início dos anos 1980, contra bancas de jornais com bombas incendiárias por venderem exemplares de jornais como O Pasquim, Opinião, Movimento, Versus, Voz da Unidade etc; c) atentado por meio de cartas-bomba, na década de 1980, enviadas às sedes das entidades da sociedade civil que lutavam pelo fim da ditadura, como a OAB, cuja secretária, Dona Lyda Monteiro, foi assassinada quando abria a correspondência; d) em 1937, ninguém menos que o general Góis Monteiro, um integralista (ou melhor, um fascista), que, para ganhar a confiança de Getúlio Vargas e depois ser executivo do alto escalão, forjou o famigerado “Plano Cohen”, depois por ele mesmo denunciado como farsa, causando constrangimento a muitos generais e altos oficiais e a altos funcionários do governo dos Estados Unidos, chegados a intervir na política interna de outros países.

E como ficam as declarações do ex-vice Mourão e do ex-juizeco Moro, que se deram ao desplante de criticar o Ministro Flávio Dino, da Justiça e Segurança Pública, por ter requisitado o apoio da Força Nacional para monitorar a chegada das hordas no dia anterior? Retirei o nome do futuro ex-governador Ibaneis, já na fila do desemprego por bancar o esperto e ajudar por baixo do pano seu ‘mito’ covarde que se mandou como Pateta para o colo de seu amo e senhor, Pato Donald (Trump), na Disneylândia.

E que não fiquem isentos canalhas como Heleno e seus assemelhados, covardes que se dizem patriotas, mas o que gostam é de mamar nas tetas da ‘pátria’. Cadeia, cadeia, cadeia também para eles. Ele, aliás, é suspeito de ter estado por trás dos atentados da extrema-direita na década de 1980, e talvez tenha sido um dos instrutores do inominável (pois seu cérebro atrofiado não permite questões de maior complexidade) naquele ato deplorável em que queria demonstrar sua ‘macheza’ para as hienas de maior patente e que o devem ter usado para os atos de sabotagem, mas pateta como é, só conseguiu se atrapalhar e quase virar um desertor, poupado pelo general Leônidas Pires Gonçalves, indicado pelo falecido Presidente Tancredo Neves, que não pôde ter sido empossado na Presidência da República por uma sucessão de episódios que hoje nos deixam com a pulga atrás da orelha...

Picaretas e outras ferramentas desse porte foram usadas pelos terroristas atabalhoados nas invasões deste dia que entra para a história como uma vergonha nacional. O fato real é que o estrago foi maior que o patrimônio público, histórico e artístico depredados neste domingo: o maior prejuízo foi do Estado Democrático de Direito, da Democracia como regime conquistado com muito denodo pela sociedade civil ao longo de pelo menos duas décadas. Fragilizada, vilipendiada e defecada (isso mesmo: esses canalhas como o inominável fujão adestraram suas hienas desavergonhadas e nada patriotas para fazer o ‘dois’ nas áreas que eles acreditavam ser de seus ‘inimigos’). Coisa de fascistas, que agem em bandos e traiçoeiramente, simples assim.

Como é mesmo que ensinavam no tempo da ‘redentora’ aos recrutas que faziam o seu serviço militar? Terrorista é terrorista. Se precisar, um agente da ordem não pode hesitar. É isso o que eles, covardes e de mente limitada, queriam. Bastasse uma gota de sangue derramada para fazer a cena de coitadinhos. Como na emblemática e memorável Batalha da Sé (ou Revoada dos Galinhas Verdes), da década de 1930. Só que ninguém pretende mirar e atirar em sua caixa craniana fascista, de cujo interior só sai aquilo que os intestinos de todo animal costuma execrar. Os fascistas serão desmascarados, um a um, e serão levados para onde já deveriam ter estado, nas cadeias, ou melhor, no lixo da História.

É dever de todo cidadão que respeita a Constituição Federal de 1988 não ficar inerte ante mais este atentado protagonizado pelo fascismo, explicitamente terrorista. É hora de ir, em todas as cidades, em todos os estados, sobretudo em Brasília, nesta semana, se possível já nesta segunda-feira, para repudiar rotundamente os covardes fujões, os facínoras de ontem e fascistazinhos de hoje, seja de pijama ou de roupa de escoteiro, de terninho de falso pastor ou de falso fariseu. Todos somos pela Democracia!

Lembram-se do inesquecível discurso do Doutor Ulysses Guimarães, o terror de todos os meliantes que estão por trás desses fedorentos tonton macoutes, em especial o canalha-mor, o inominável, que logo estará chegando ao território pátrio sob as varas da Lei. Não perdem por esperar, e os ‘escondidinhos’, de pijama ou não, terão o mesmo fim. Nada de compaixão ou tolerância com canalhas assassinos, traidores e facínoras.

“Traidor da Constituição é traidor da pátria. Conhecemos o caminho maldito. Rasgar a Constituição, trancar as portas do Parlamento, garrotear a liberdade, mandar os patriotas para a cadeia, o exílio e o cemitério. (...) Temos ódio à ditadura. Ódio e nojo. Amaldiçoamos a tirania aonde quer que ela desgrace homens e nações. Principalmente na América Latina.” (Doutor Ulysses Guimarães, 5 de outubro de 1988, no ato solene de Promulgação da Constituição Federal de 1988.)

 

Correio de Corumbá

SIGA-NOS NO Correio de Corumbá no Google News

 
 
 

Veja Também

VÍDEO: Fotógrafo de Lula, Ricardo Stuckert tem câmeras e drone roubados por terroristas

Além de subtraírem obras de arte históricas e destruírem as sedes dos Poderes em Brasília, os golpistas que promoveram terrorismo em Brasília no último domin...

PF cria e-mail para recebimento de denúncias dos atos antidemocraticos

A Polícia Federal criou o e-mail [email protected] para receber informações sobre os envolvidos nos atos antidemocráticos do último domingo. A Políc...

PADRE PASQUALE, HUMILDE PEREGRINO

Humilde peregrino, Padre Pasquale Forin veio para o Coração do Pantanal inspirar o protagonismo dos excluídos. No segundo ano de sua eternização, a celebraçã...

Últimas Notícias