36 ℃

Economia

Produção industrial seguiu estável ou em crescimento na maioria das empresas de MS em dezembro

No atual levantamento, 64% das empresas industriais de Mato Grosso do Sul apontaram estabilidade ou crescimento da produção

Ter, 24 Janeiro de 2023 | Fonte: Assessoria Fiems


Apesar da atividade menos intensa no final do ano, condição comum para o período, a produção industrial seguiu estável ou em crescimento na maioria das empresas de Mato Grosso do Sul no mês de dezembro, conforme Sondagem Industrial do Radar Industrial Fiems. Já os índices de confiança e intenção de investimento recuaram na comparação com o último levantamento, embora permaneçam em patamares positivos. Entre as dificuldades enfrentadas no quarto trimestre de 2022, a demanda interna insuficiente foi o principal desafio apontado pelos respondentes, seguido da falta de trabalhador qualificado, elevada carga tributária e do alto custo da matéria-prima.

Em relação às principais dificuldades enfrentadas no quarto trimestre de 2022, a demanda interna insuficiente foi o principal desafio apontado pelos respondentes, seguido da falta de trabalhador qualificado, elevada carga tributária e do alto custo da matéria prima.

Somado a isso, 64% dos empresários se mostraram satisfeitos em relação a margem de lucro operacional obtida no último trimestre do ano. Já a situação financeira geral da empresa foi avaliada como satisfatória ou boa por 77% dos respondentes.

Em relação às principais dificuldades enfrentadas no quarto trimestre de 2022, a demanda interna insuficiente foi o principal desafio apontado pelos respondentes, seguido da falta de trabalhador qualificado, elevada carga tributária e do alto custo da matéria prima.

Os índices de confiança e intenção de investimento permanecem em patamares positivos, ainda que tenham recuado na comparação com o último levantamento. “Sinalizando que o otimismo entre os empresários industriais de Mato Grosso do Sul se encontra menos intenso e disseminado neste período. Ainda assim, 55% dos empresários afirmaram que pretendem realizar investimentos nos próximos seis meses”, completou Ezequiel Resende.

A Sondagem Industrial foi realizada entre os dias 3 e 13 de janeiro e ouviu 67 empresas ou 4% da amostra nacional, sendo 29 pequenas, 30 médias e oito grandes, dos seguintes segmentos: produtos alimentícios, produtos de metal, produtos de material plástico, produtos têxteis, confecção de artigos do vestuário e acessórios, máquinas e equipamentos, couros e artefatos de couro, produtos de minerais não metálicos, extração de minerais não metálicos, bebidas, produtos de madeira, químicos, produtos de borracha, atividades de apoio à extração de minerais, calçados e suas partes, biocombustíveis, produtos de limpeza, produtos farmoquímicos e farmacêuticos, máquinas, aparelhos e materiais elétricos e móveis.

Correio de Corumbá

SIGA-NOS NO Correio de Corumbá no Google News

 
 
 

Últimas Notícias