27 ℃

Geral

Total de denunciados por atos de terrorismo em Brasília chega a 653

PGR incrimina mais 152 golpistas durante a semana, todos presos no acampamento em Brasília. Além de condenação pelos crimes, órgão pede pagamento de indenização

Sáb, 04 Fevereiro de 2023 | Fonte: Redação


Entre 31 de janeiro e 2 de fevereiro – terça e quinta-feira – a Procuradoria-Geral da República (PGR) denunciou mais 152 pessoas por envolvimento nos atos terroristas que resultaram nos atos de terrorismo e depredação contra as sedes dos Três Poderes, em Brasília, no dia 8 de janeiro. Segundo o órgão, já são 653 os suspeitos de participação nos atos golpistas denunciados à Justiça.

A leva de denúncias desta semana diz respeito a pessoas que foram detidas no acampamento bolsonarista em frente ao Quartel General do Exército, em Brasília. A PGR informa que todos foram levados a unidades do sistema prisional do Distrito Federal, após a audiência de custódia e a decretação das prisões preventivas.

Eles são acusados pelos crimes de associação criminosa (um a três anos de prisão) e de incitar a animosidade entre as Forças Armadas contra os Poderes Constitucionais (três a seis meses). A PGR pede que os crimes sejam considerados em separado. Desta forma, as eventuais penas serão somadas.

Organização criminosa

As denúncias – assinadas pelo subprocurador-geral da República Carlos Frederico Santos – narram a sequência de acontecimentos até a formação do acampamento no Quartel-General (QG) do Exército, na capital federal.

Segundo as peças, o local apresentava “evidente estrutura a garantir perenidade, estabilidade e permanência” dos manifestantes que pediam “intervenção federal” e a tomada do poder, em desrespeito ao resultado das eleições do ano passado.

Além da condenação pelos crimes apontados, o subprocurador-geral pede que os envolvidos sejam condenados também ao pagamento de indenização mínima, conforme prevê o Código de Processo Penal, “ao menos em razão dos danos morais coletivos evidenciados pela prática dos crimes imputados”.

Celeridade

É grande o volume esperado de processos que deverão resultar das centenas de denúncias apresentadas contra envolvidos nos atos de terrorismo em Brasília. Por essa razão, o subprocurador-geral, que também coordena do Grupo Estratégico de Combate aos Atos Antidemocráticos, solicitou a abertura de uma consulta nacional para que procuradores da República lotados em todo o Brasil possam contribuir com o trabalho. Os interessados atuarão em apoio ao Grupo na instrução processual dos casos.

Correio de Corumbá

SIGA-NOS NO Correio de Corumbá no Google News

 
 
 

Veja Também

Lula diz que democracia é o patrimônio mais precioso da população

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva lembrou hoje (8) dos ataques golpistas do dia 8 de janeiro, em Brasília, marcando o primeiro mês após os atos. Na ocas...

PF poderá acessar biometria do TSE em investigação de atos golpistas

A Polícia Federal poderá acessar o sistema de dados biométricos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no âmbito da investigação de organizadores e participan...

Em Mato Grosso do Sul, mais de 31,4 mil pessoas renegociaram na Faixa 1 do Desenrola

Em Mato Grosso do Sul, mais de 31,4 mil pessoas formalizaram negociações na Faixa 1 do Programa Desenrola do Governo Federal, entre 9 de outubro de 2023 e 18...

Operação resgata 20 trabalhadores sob condições análogas à escravidão em fazenda exportadora de limões em Aparecida do Taboado

Vinte trabalhadores, dentre eles um menor, foram resgatados de uma fazenda exportadora de limões em Aparecida do Taboado, onde estavam submetidos a condições...

Últimas Notícias