35 ℃

Ahmad Schabib Hany

Pelé, a partida para a eternidade

Seg, 02 Janeiro de 2023 | Fonte: Ahmad Schabib Hany


Edson Arantes do Nascimento, o menino pobre, talentoso e cheio de sonhos que se tornou majestade do futebol, fez sua partida derradeira antes da chegada de 2023.

29 de dezembro de 2022. Data da convocação de Pelé para a eterna seleção dos bambas da humanidade. Após passar os últimos meses entre idas e vindas ao hospital, Edson Arantes do Nascimento, o menino pobre, talentoso e cheio de sonhos que se tornou o eterno o rei, a majestade do futebol, fez a partida derradeira para a eternidade.

Um Amigo da Família convencera o Pai que trocasse o ofício de engraxate em sua Bauru do coração (e do Santos, seu eterno time) pelo emancipador ofício de jogador de futebol, vocação igual à paterna. Não só abriu os horizontes do ídolo para o mundo como Pelé revelou o Brasil para toda a humanidade.

O menino de Três Corações (na verdade de oito bilhões de corações), de Minas Gerais de Juscelino Kubitschek e Tancredo Neves, ensinou à humanidade não apenas a arte e o ofício (porque ele foi de um profissionalismo ímpar) como tornou o esporte (particularmente o futebol) instrumento de pacificação e harmonia, e fez do Brasil um país admirado e amado por todos os povos.

Na África, na Europa e indiretamente no Oriente Médio, Pelé foi pivô de raros momentos de armistício e concórdia, episódios que ficaram para a história. Se em Vida ele fez proezas como essas, com sua eternização sua Família resgatou essa vocação inata: para não concorrer com o momento de congraçamento da democracia com a posse do Presidente Lula, seu velório e sepultamento serão realizados depois da instalação do novo governo. Até como forma de união, de pacificação nacional, para arrefecer a animosidade que ainda teima em atacar o Estado de Direito.

É curioso que pessoas de origem humilde que galgam posições de sucesso em nossa sociedade eivada de exclusão, hipocrisia, discriminação e intolerância deem sobejos exemplos de dignidade, generosidade e empatia. Ao contrário dos beócios membros da casa grande que teimam em apequenar a grandeza do Povo Brasileiro (com maiúsculas, por favor!), quando não conspiram contra o porvir deste país-continente em cujas entranhas se encontram milhares, senão milhões, de pessoas com igual talento, generosidade e capacidade de realização como Pelé e Lula, brasileiros que venceram a adversidade e, cada um ao seu modo, contribui para um mundo melhor.

Em janeiro de 1984 ouvi perplexo um depoimento desconcertante do célebre Jornalista Lorenzo Carri (Joelmir Betting do Jornalismo boliviano cujo começo se deu nos esportes), argentino declaradamente admirador incondicional de Pelé, na época editor de esportes do diário de maior circulação da Bolívia, o jornal Presencia: em 1959, quando o rei do futebol fora a La Paz jogar pelo Santos, Carri se iniciava no ofício de repórter esportivo e, trêmulo e hesitante ante uma estrela em ascensão, deparou-se com um atleta cordial, afetuoso e generoso (nas palavras de Carri), como que percebesse a importância dessa reportagem para a vida do jovem principiante.

Graças à emblemática reportagem, Lorenzo Carri conquista reconhecimento como jornalista esportivo na Bolívia, status que, segundo o próprio Carri, deve integralmente à generosidade de Pelé, gratidão que guardou até 2011, ano em que eternizou, onze anos antes de seu entrevistado. Gestos inusitados como o revelado pelo Jornalista que editou jornais e telejornais diários na Bolívia a majestade do futebol que o Brasil ofereceu para a humanidade decerto se multiplicaram pelos quatro cantos do Planeta.

Pelé se despede do mundo sem poder comemorar a frustrada vitória da seleção Canarinho em 2022. Mas com seu legado, da dimensão de seu grande talento, gigante personalidade e imensa alma, torna a humanidade mais excelsa e os brasileiros mais generosos e solidários.

Até sempre, Edson Arantes do Nascimento, grande e único Pelé! Agradeço por tido o privilégio de testemunhar o reconhecimento de um grande Jornalista cuja iniciação se deveu a um gesto espontâneo de empatia de um menino pobre, talentoso e cheio de sonhos saído do interior do Brasil e que se tornou majestade em sua arte para fazer o Planeta mais meigo, afetuoso e fraterno, a despeito de suas limitações inerentes à condição humana e decorrentes de nossa sociedade mesquinha e desigual.

Correio de Corumbá

SIGA-NOS NO Correio de Corumbá no Google News

 
 
 

Veja Também

Casagrande revela motivo de ídolos do Tetra e Penta não irem ao velório de Pelé

O ex-jogadores e comentarista Walter Casagrande Júnior explicou em sua coluna no UOL, publicada na quarta-feira (4), o real motivo dos integrantes das equipe...

OneFootball vai transmitir 100% dos jogos do Catarinense e Paranaense em 2023

O OneFootball confirmou hoje (12) a transmissão ao vivo de todos os jogos do Campeonato Catarinense e Campeonato Paranaense em 2023. No início de 2022, o One...

YouTube transmite o primeiro jogo do Paulistão no sábado

Com o sucesso das transmissões de esportes no YouTube, como o Paulistão 2022 e a Copa do Mundo FIFA, com partidas que bateram recordes nacionais, a plataform...

A HISTÓRICA POSSE DE SÔNIA GUAJAJARA E ANIELLE FRANCO

Sônia Guajajara e Anielle Franco, em histórico ato, tomam posse em seus emblemáticos ministérios. Ao lado da reconstrução nacional e do resgate das políticas...

Últimas Notícias