36 ℃

Cultura

OCAMP aposta na formação de público e prevê um concerto por mês em Corumbá, ao longo de 2023

Na última semana, Orquestra de Câmara do Pantanal apresentou ‘A Viagem de Mozart’, no Moinho Cultural

Qui, 09 Março de 2023 | Fonte: Karine Dias/Assessoria


Espelhando-se nas grandes orquestras, que têm como rotina ensaios e apresentações constantes, a OCAMP (Orquestra de Câmara do Pantanal) está preparando concertos para todos os meses do ano. O primeiro deles aconteceu no último fim de semana, no Moinho Cultural, em Corumbá. 

O principal objetivo é formar um público ávido por música clássica, no coração do Pantanal sul-mato-grossense. “As orquestras profissionais têm como rotina os ensaios durante a semana e apresentações nos fins de semana. Por isso, a nossa ideia é fazer um concerto por mês para ajudar na formação do público. É uma forma da cidade ter sempre um evento também e as pessoas desenvolverem o gosto pela música”, explica o maestro da OCAMP, José Maikson. 

O primeiro concerto foi “A Viagem de Mozart”, uma história fictícia criada para envolver o público em uma verdadeira viagem pela vida do compositor austríaco. O convite ao público foi para uma viagem pela Europa e América Latina, com participação de alguns bailarinos também da Companhia de Dança do Pantanal. 

“Pensamos em uma forma de explicar a estrutura da música de Mozart, quem ele era, qual era o estilo musical dele, tudo de uma forma didática e atrativa. Para dar uma diversificada, colocamos tango e algumas músicas brasileiras também”, conta Maikson. 

No ano passado, a OCAMP já havia apresentado um repertório baseado na obra de Mozart na Sala Cecília Meireles, no Rio de Janeiro. 

A manicure Camila Souza, 36 anos, é mãe de um dos atendidos pelo Moinho Cultural e foi assistir o concerto. “Impossível ficar sentada com todo esse repertório. Fico cada dia mais emocionada com os momentos de arte e cultura que o Moinho Cultural nos oferece”, afirmou, ao fim da apresentação. 

Para a bancária Girlene Teixeira, o concerto realmente fez o público embarcar em uma viagem. “Foi um lindo espetáculo, com repertório maravilhoso e músicos sem defeitos. Temos orgulho de anunciar ‘A OCAMP é de Corumbá!’, de conhecer os músicos e também do Moinho Cultural, que nos proporciona tanta cultura”, destacou. 

Com a previsão de um concerto por mês, a OCAMP já está se preparando para a próxima apresentação ao público corumbaense. Para quem ficou curioso, o maestro da orquestra dá uma dica: “o repertório tem a ver com a ‘sétima arte’”, adianta Maikson. 

Para acompanhar um pouco da rotina da OCAMP e ficar por dentro das próximas apresentações, basta seguir o perfil da orquestra no Instagram: @ocampms. 

Sobre a OCAMP

A Orquestra de Câmera do Pantanal, criada oficialmente em 2018, integra as atividades do Instituto Moinho Cultural Sul-Americano, que há 18 anos atua na Transformação Social por meio da Arte, em Corumbá.

A Orquestra desempenha relevante papel no contexto cultural da região pantaneira, com ampla programação que inclui repertórios sinfônicos e camerísticos, clássicos, populares e regionais, apropriados não só para salas de concerto, mas também para auditórios, campus e em unidades de ensino, teatros, anfiteatros e espetáculos ao ar livre, vem como para pequenas recepções, aniversários, casamentos e outros eventos. Tem como objetivos principais divulgar a música sinfônica e de câmara, inovar em propostas educacionais e artísticas, estimular a formação de público e, sobretudo, promover a interação entre o saber produzido no Instituto Moinho Cultural Sul-Americano e a sociedade.

Em 2022, alguns músicos desta orquestra integraram a Orquestra Vale Música e estiveram em Dubai. Turnês pelo Brasil e realização do FEMUP – Festival de Música de Concerto do Pantanal, também faz parte do histórico da Orquestra. 

O Instituto Moinho Cultural Sul-Americano

O Moinho Cultural é uma OSC que oferece há 18 anos para crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social de Corumbá, Ladário, Puerto Suarez e Puerto Quijarro, aulas de dança, música, tecnologia e informática. A formação continuada oferecida pela instituição tem duração de até oito anos. O Moinho também atua na formação de intérpretes criadores para jovens e adultos, com a Companhia de Dança do Pantanal, Orquestra de Câmara do Pantanal e Núcleo de Tecnologia. A missão da instituição é diminuir a vulnerabilidade social na região de fronteira Brasil-Bolívia, por meio do acesso a bens culturais e tecnológicos. Desde o início das atividades, mais de 23 mil crianças e adolescentes já foram atendidos pelo Moinho.

Atualmente, o Moinho Cultural conta com o patrocínio máster via Lei de Incentivo Cultural do Instituto Cultural Vale, bem como, patrocínio da Bellalluna Participações LTDA, Energisa, BRINKS, BTG Pactual, CaraÍ Empreendimentos LTDA, HINOVE, Rodobens, o Apoio Cultural do Instituto FAR, o fomento do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, por meio da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, além da parceria com a J.Macêdo e Fecomércio MS-SESC. 

São parceiros institucionais a Prefeitura de Corumbá, Prefeitura de Ladário, Prefeitura de Puerto Suárez, Prefeitura de Puerto Quijarro, Instituto Homem Pantaneiro, IFMS, UFMS, Acaia Pantanal e outros doadores pessoa física e jurídica.

Correio de Corumbá

SIGA-NOS NO Correio de Corumbá no Google News

 
 
 

Últimas Notícias