35 ℃

Cultura

Moinho Cultural sai em turnê por Mato Grosso do Sul com o espetáculo Guadakan

Esta é a primeira vez que um espetáculo do Moinho In Concert é apresentado em outros municípios.

Ter, 11 Abril de 2023 | Fonte: Karine Dias/Assessoria


No mês de abril, o espetáculo Guadakan, criado e apresentado pelo Instituto Moinho Cultural Sul-Americano, com a participação de mais de 400 integrantes da instituição, será apresentado agora em três municípios sul-mato-grossenses: Campo Grande, Dourados e Ponta Porã. O espetáculo foi adaptado e conta com a participação dos núcleos profissionais da Cia de Dança do Pantanal e a OCAMP (Orquestra de Câmara do Pantanal).

No princípio, era a simplicidade. Os antigos aprenderam e passaram a ensinar aos seus que tudo tem um dono no Pantanal, estes são seres não humanos, sobrenaturais ou divinos que devem ser respeitados e exigem uma conduta ética para que ali todos possam viver em equilíbrio com os recursos por eles oferecidos. Quando se quebram regras, punições serão proferidas. No presente, mais de 17 milhões de animais vertebrados foram mortos.

Concebido a partir de uma lenda Guató, o espetáculo une dança contemporânea e orquestra. Diante da lenda de Guadakan, a apresentação leva todos a uma reflexão: 

No princípio, era a simplicidade. Os antigos aprenderam e passaram a ensinar aos seus que tudo tem um dono no Pantanal, estes são seres não humanos, sobrenaturais ou divinos que devem ser respeitados e exigem uma conduta ética para que ali todos possam viver em equilíbrio com os recursos por eles oferecidos. Quando se quebram regras, punições serão proferidas. No presente, mais de 17 milhões de animais vertebrados foram mortos.

A concepção cênica e direção geral é de Márcia Rolon, arranjos e adaptação musical de Eduardo Martinelli. A regência fica por conta de José Maikon Amorim Alves, a narração da lenda por Arce Correia, a coreografia é de Chico Neller e os figurinos de Luiz Gugliatto.

“Guadakan é um espetáculo intenso e necessário. A arte também é provocativa e deve nos levar à reflexão. Poder levar o Pantanal e a necessidade urgente de preservar a mais pessoas nos alegra muito. O Pantanal precisa de todos nós”, afirma a diretora-executiva do Moinho Cultural, Márcia Rolon.

A primeira parada da turnê por Mato Grosso do Sul é em Campo Grande. O espetáculo será apresentado no Teatro Glauce Rocha, na quarta-feira (12), às 20h. Com classificação indicativa de 14 anos, a entrada é gratuita. Ingressos devem ser retirados no local uma hora antes, às 19h.

“Fiquei impactada com a pequena mostra que assisti sobre o espetáculo. Conheci de perto esse projeto espetacular de transformação social chamado Moinho Cultural. Ele faz a diferença na vida das crianças, das famílias, da sociedade", afirma a diretora da FAPEC, Nilde Brum.

Na sexta-feira (14), a Cia de Dança do Pantanal e a OCAMP estarão em Ponta Porã. A apresentação será às 18h, no Centro Internacional de Convenções Miguel Gomes (Rua Baltazar Saldanha, 1550). Entrada também será gratuita, com retirada dos ingressos às 17h no local.

A turnê termina em Dourados (15) com a apresentação no FESTOP (Festival de Todos os Povos), às 16h20, na Praça Antônio João.

"É muito importante que outras cidades recebam esse projeto maravilhoso do Moinho Cultural. É oportunizar ao público uma cultura de qualidade, com acesso gratuito. A Fundação de Cultura sempre vai apoiar movimentos como esse, em prol da sociedade como um todo", destacou o diretor-presidente da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, Max Freitas.

A turnê por MS conta com apoio cultural da Fapec, UFMS, Festop, Prefeitura Municipal de Ponta Porã, vereadora Camila Alvarenga, Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul e Governo do Estado de MS.

O Instituto Moinho Cultural Sul-Americano
O Moinho Cultural é uma OSC que oferece há 18 anos para crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social de Corumbá, Ladário, Puerto Suarez e Puerto Quijarro, aulas de dança, música, tecnologia e informática. A formação continuada oferecida pela instituição tem duração de até oito anos. O Moinho também atua na formação de intérpretes criadores para jovens e adultos, com a Companhia de Dança do Pantanal, Orquestra de Câmara do Pantanal e Núcleo de Tecnologia. A missão da instituição é diminuir a vulnerabilidade social na região de fronteira Brasil-Bolívia, por meio do acesso a bens culturais e tecnológicos. Desde o início das atividades, mais de 23 mil crianças e adolescentes já foram atendidos pelo Moinho.

Atualmente, o Moinho Cultural conta com o patrocínio máster via Lei de Incentivo Cultural do Instituto Cultural Vale, bem como, patrocínio da Bellalluna Participações LTDA, Energisa, BRINKS, BTG Pactual, CaraÍ Empreendimentos LTDA, HINOVE, Rodobens, o Apoio Cultural do Instituto FAR, o fomento do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, por meio da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, além da parceria com a J.Macêdo e Fecomércio MS-SESC.

São parceiros institucionais a Prefeitura de Corumbá, Prefeitura de Ladário, Prefeitura de Puerto Suárez, Prefeitura de Puerto Quijarro, Instituto Homem Pantaneiro, IFMS, UFMS, Acaia Pantanal e outros doadores pessoa física e jurídica.

Correio de Corumbá

SIGA-NOS NO Correio de Corumbá no Google News

 
 
 

Veja Também

OCAMP aposta na formação de público e prevê um concerto por mês em Corumbá, ao longo de 2023

Espelhando-se nas grandes orquestras, que têm como rotina ensaios e apresentações constantes, a OCAMP (Orquestra de Câmara do Pantanal) está preparando conce...

Cia de Dança do Pantanal apresenta ‘Migrantes’ em três municípios da região pantaneira, neste fim de semana

A Cia de Dança do Pantanal apresenta o espetáculo ‘Migrantes’, sexta (31) a domingo (2), em três municípios da região pantaneira. As apresentações fazem part...

Últimas Notícias